Hoje em dia está ficando comum nos depararmos com descrições de imagens, principalmente em redes sociais. Nos últimos anos surgiram algumas hashtags para indicá-las, como #PraCegoVer (algumas empresas utilizam-se de hashtags como #NomedaEmpresaAcessível). Outras, ainda, colocam a descrição sem hashtags (é o caso da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com deficiência de São Paulo e a Organização Nacional de Cegos do Brasil).

Algumas descrições, porém, ficam invisíveis aos olhos de quem enxerga, pois estas ficam no que chamamos de ALT da imagem. Este espaço (também chamado de texto alternativo) é detectado pelo leitor de tela de usuários cegos.

Nesse texto, vou ensinar como fazer uma boa descrição de imagem e como colocá-las no Facebook, Twitter, sites e blogs (usando o código HTML).

Fazendo uma boa descrição

Imagine que você está no telefone com um amigo e um homem acaba de ser atropelado na sua frente. Como você contaria a cena para a pessoa no telefone?

Esse pode ser um bom começo se você nunca descreveu uma imagem – pelo menos com a finalidade de torná-la acessível, pois todos nós vivemos descrevendo coisas.

Se você quer algo mais pragmático, ou menos trágico, seguem aqui algumas regrinhas:

    1) Especifique de que tipo de imagem se trata: fotografia, montagem, recorte de revista ou jornal, charge, etc.
    2) É colorido(a) ou em preto e branco?
    3) Quando se tratar de uma imagem sem ordem lógica (ou seja, algo que não seja uma charge), o padrão é começar a descrição contando o que há no primeiro plano (ou o que é o foco) para depois descrever o que há em volta – isso serve para dar uma referência para a pessoa cega imaginar.
    4) Depois, descreva os elementos de fora para dentro, do genérico para o objetivo. Exemplo: falar do cenário; é dia, é noite?; quantas pessoas / animais / objetos / elementos você vê?
    5) No caso das charges, é legal sempre dizer, antes de começar a descrição de fato, quantos quadrinhos há.
    6) Quando for relevante, lembre-se de dizer com mais detalhes como são as pessoas, animais ou objetos. Exemplo: mulher de cabelos negros e longos; cachorro branco de pelo curto; mesa de madeira escura.

Vamos para a parte divertida: a prática!

Descrição da imagem: fotografia colorida do interior de um restaurante, com uma mesa ao centro. Sobre ela, há quatro cardápios, um em cada canto da mesa. Fim da descrição.

Antes de ler a descrição, tente você fazer a sua própria.

Um desafio interessante é elaborar uma descrição e depois lê-la a uma pessoa que nunca viu a imagem. Depois, mostre a ela e pergunte se, com sua descrição, ela imaginou algo parecido e, se não, o que ela imaginou diferente. Isso pode te dar boas dicas para a próxima vez que for descrever algo.

Vamos à minha descrição da imagem acima: fotografia colorida do interior de um restaurante, com uma mesa ao centro. Sobre ela, há quatro cardápios, um em cada canto da mesa.

Que tal? Bateu com o que você fez aí?

Aplicando seus novos conhecimentos no seu site ou blog

Se você usa WordPress, ao carregar uma imagem haverá um campo chamado “texto alternativo” em que você poderá descrever sua imagem.

Se você quer algo mais “raiz”, use o código do HTML (lembre-se de carregar a imagem antes de publicar o post, hein!):

<-img src="images/nome da imagem.extensão" alt="Descrição da imagem." title="texto que aparece ao passar o mouse sobre a imagem." -/>

Tire os hífens (-) e tcha-nan!

Descrevendo no Facebook

Você pode fazer da forma antiga, com hashtags, ou usarr o novo espaço que o Facebook inaugurou recentemente.

O lado positivo de usar esse novo espaço é que a descrição não aparecerá no post, o que torna seus conteúdos mais “limpos” (o texto é lido apenas por leitores de tela, como é atualmente em sites e blogs).

Veja como editar o texto alternativo das imagens da rede social.

Descrevendo no Twitter

Felizmente, o Twitter sabe que é impossível fazer um tweet e ainda descrever uma imagem em 280 caracteres.

A rede social lançou, muito antes da sua concorrente Facebook, uma ferramenta em que a descrição da imagem não ocupa o tweet – tanto em número de caracteres como em espaço visual, já que o texto é lido apenas por leitores de tela. Mas, cuidado! O limite aqui é de 420 caracteres.

Veja como ativar esse recurso na sua conta do Twitter.

Agora, mãos à obra!

Categorias: dicas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *